"And now for something completely different..."

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Doce Dezembro é o Car*(&%

Não me entendam mal, não estou revoltado nem nada, só gosto de escrever títulos que quebrem alguns clichês sociais. ;D

Dezembro é um mês que afeta muito os blogs em geral. Pelo menos o meu e a maioria dos outros blogs que eu noto tem uma certa queda no número de postagens nessa data... Suponho que isso aconteça porque nessa época a maioria das pessoas está preocupada com festividades ou responsabilidades e conclusões de fim de ano, ou está viajando, ou também porque Dezembro é um mês muito propício a extremos: Ou algo vai dar muito certo e você terá um Ano-Novo olhando animado para o céu ou algo vai dar muito errado e você terá um Natal de lixo querendo não comparecer às reuniões familiares para não estragar o clima festivo dos outros. Claro que a possibilidade de ser um final de ano comum e indiferente também conta.

Estava com vontade de escrever isso, em parte porque meu último fim de ano eu era a encarnação de Marvin, o Andróide Paranóide do Guia do Mochileiro, em parte porque este fim de ano estou exatamente o oposto disso, e em parte só porque sim.

Mas sabe, se tem uma hora pra se preocupar em como vai ser sua vida daqui pra frente, nenhum carrasco é maior que o mês de Dezembro, pois todos ficam falando sobre o "ano novo" e sobre "novo começo" e mimimi e tititi... Vão se foder porque não muda nada! De 31 de Dezembro pra 1 de Janeiro só se passou mais um dia como todos os outros, ninguém vive por "anos", essa é só uma medição temporal que supervalorizamos! De Junho pra Julho pode mudar muito mais coisa do quê de Dezembro pra Janeiro, e sabe, "um ano" se passa todos os dias, basta ter como base o mesmo dia no ano passado, que é a mesma coisa!

Esse lance de alegria em massa não é comigo não.
Se é pra bolar viagens, reuniões de família ou sentir saudades, inventem um motivo melhor pra isso!!

Considerem esse meu post sobre o "Natal", porque não vou ficar escrevendo nada especial pra postar na data~

...

Só pra terminar o post com um pouco mais de humor e tirando com a minha própria dignidade para o seu deleite...

Voltando pra casa de metrô esses dias vi uma pessoa usando uma camiseta assim:


"Aviso aos Namorados:
Chefe de polícia determina que a partir desta data, os casais que forem encontrados namorando em lugares públicos serão multados de acordo com a nova lei 69.etc da seguinte forma:

Mão na mão ... R$ 5,00
Boca na boca ... R$ 7,00
Mão naquilo ... R$ 10,00
Aquilo na mão ... R$ 12,00
Aquilo encostado naquilo ... R$ 17,00
Aquilo dentro daquilo ... R$ 20,00

As multas para os casais que forem encontrados com a boca naquilo ou aquilo na boca será de R$ 50,00.

E agora, com sinceridade, falando naquilo, você já deu aquilo?
Não há necessidade de responder, basta dar um pequeno sorriso para confirmar."


... A merda foi que euri.
Até mais e uma ótima semana convencional para todos!
K-2 desligando e encerrando as atividades do K-2logismo neste ano!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Zehn Dinge... Über Mich

No título: "Dez Coisas... Sobre Mim"

Bruno Antonelli...

... acha que está se desacostumando a se referir a si mesmo como "K-2", embora ainda prefere que os outros o façam.
... anda desenhando ou escrevendo com bem menos entusiasmo do que costumava, embora em todo o resto esteja infinitamente mais animado do que esteve o ano todo.
... desenvolveu uma alergia à normalidade que piora mais a cada dia.
... está quase cansando do cabelo longo, mas nunca dos óculos redondos.
... tem muito, muito medo mesmo do que a faculdade pode fazer com o humor ou a força mental e sentimentos dele e das pessoas ao seu redor.
... adora muito mesmo chá gelado preto ou verde, chegando a preferir uma lata desses a um copo de milk-shake, sua antiga bebida favorita.
... sempre que possível deixa o arroz ensopado de Molho Inglês (preferencialmente o com extrato de carne entre os ingredientes).
... tem súbitos acessos de desejo por Yakisoba.
... é um carnívoro adorador de Bacon, mas estranhamente não gosta de churrascos.
... realmente não estava com fome no momento em que escreveu tudo isso.


Dez coisas sobre mim, que está relacionado aos posts do Nathan no Hipocrisia Contraditória e do Quejinho no QWoL.
É o que também vou pedir para os amigos listados abaixo:

Marina, do Garota do 206
Giovani, do You Are Not a Hero
Dr. Fábio, do Leitura de Privada
Bia, do Sky of Cotton Candy
Capelo, do Cabana do Capelo
Julia, do Jyu's Life
(estes últimos dois mesmo já sendo taggeados pelo Qjn ^^)

Só seguindo com a corrente, divirtam-se. =]

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Isso TINHA Que Ser Registrado

Só por quê essa conversa me deixou com a barriga doendo de tanto rir! XD
(Não recomendável para menores de OITOMIL anos.)

********************************************

K-2: [...] Não vai ter Natal aqui em casa esse ano. =]

Capelo: *foreveralone*

Bee: Vou aí arrumar sua casa pro Natal! ;;

Capelo: K-2, o quê você vai fazer no Natal, então?

Lyu: Cara, Natal = COMIDA. 8(

K-2: Menor idéia, se não for passar o natal com ela, vou sei lá, virar fora. xD

Bee: Espero que você venha pra cá!

Capelo: Quer passar o natal comigo e com a minha mãe? Posso chamar alguém.

Bee: Ui, K-2 requisitado.

Capelo: Pronto, agora você tem bunch of options! \o/

Bee: Só colocar ela, o Capelo e eu num ringue pra disputar seu Natal! -n

Capelo: Eu passo, não gosto tanto assim do K-2 pra entrar numa briga com garotas.

Bee: Tá, mas podemos ter anões lutando no gel???? *0*

Capelo: QUÊ???????????

Lyu: Mas hein? xD

Bee: Sabe, de sunga, fazendo coisas séquices e lutando no gel... E o segundo round pode ser no catupiry!

K-2: ...QUÊ?!?!?!?

Bee: Se bem que se eles usassem aquelas toucas de banho iria diminuir um pouco o nível de paudurecência...

Capelo: Denovo... QUÊ??????????

K-2: NÍVEL DE PAUDURECÊNCIA?!? XDDD

Bee: Sim. O quanto o pau existente ou imaginário fica duro em determinada situação. u.ú

Capelo: Bia, seu pau imaginário fica duro por anões lutando no gel? D:

Bee: MUITO. *emoticonnegãopiscando*

K-2: AUHSuAHSuHSAUASHUASH!!! Isso vai pro meu blog. XDDD

Bee: Poxa gente. 8( -qq

[e daí em diante foi cada vez pior xD]

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

In My Life

Sabe aquela música que você sempre gostou de ouvir sem nenhum motivo em especial, e de repente você presta atenção no que ela diz, e só de ler a letra ela de repente se torna ainda mais espetacular...?

Dedico esta música a todas as pessoas que passaram pela minha vida, e também a todas as pessoas que fazem parte dela agora... E a todas que também poderão fazê-la ainda melhor um dia.

Para todos meus amigos e amigas, mesmo os que não vejo faz tempo, ou os que não tenho tempo para ver com tanta frequência... E às pessoas que se foram, e às que se mantém próximas... E também a uma certa pessoa bem mais recente em minha vida.


In My Life - The Beatles
[Lennon/McCartney]

There are places I remember all my life,
Though some have changed,
Some forever, not for better,
Some have gone and some remain.

All these places had their moments
With lovers and friends I still can recall.
Some are dead and some are living.
In my life I've loved them all.

But of all these friends and lovers,
There is no one compares with you,
And these memories lose their meaning
When I think of love as something new.

Though I know I'll never lose affection
For people and things that went before,
I know I'll often stop and think about them,
In my life I'll love you more.

Though I know I'll never lose affection
For people and things that went before,

I know I'll often stop and think about them,
In my life I'll love you more.
In my life... I'll love you more!

♪♫♪♫


*fades while smiling for everyone*

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Vlog do Rolê

Bem vindos ao *K-2face*

Olá meus queridos e pirilâmpicos leitores, seguidores, stalkers, fangirls imaginárias e invasores do meu espaço pessoal alheios ao pudor!

Como alguns de vocês podem talvez até se lembrar ou não, tive realmente bons tempos nessa última Anime Friends em julho deste ano... Tanto que até rendeu esse post aqui, que eu até gosto de reler de vez em quando~

Enfim! Por que estou relembrando isso agora, me perguntam em uníssono com as milhares de vozes de fãs curiosos imaginários na minha cabeça?

Eu e o meu já tão referido amigo Capelo temos um VLOG, ou seja, um canal no youtube aonde colocamos vídeos que gravamos falando sobre o que der na telha. Resumindo: um blog em vídeo (certo que ele ficou parado com apenas 2 vídeos por quase 5 meses, mas a partir de agora vamos manter algo como pelo menos 1 vídeo por mês), e finalmente colocamos um vídeo novo naquela budega! Yay! \o/

É o que chamamos de "vlog do rolê", quando se grava coisas durante um rolê x e depois se faz um corte das partes engraçadas ou interessantes e coloca sobre y, aonde y = youtube (argh, preciso de férias)... O rolê x em questão, foi o primeiro dos 2 sábados em que fomos na AF em julho! =DD

Eis o vídeo, com os devidos agradecimentos no final a todos que compartilharam tal fatídico e radioativo dia conosco:

O nome do vídeo foi genialmente decidido pelo Capelo, quando perguntei a ele que nome daríamos~

Teria sido ótimo se tivéssemos levado a câmera pro 2º sábado também, quando fomos de Beatles, poderíamos ter gravado muitas coisas legais também e até algumas cenas como que "correndo das fãs", mas bem, o melhor do 2º sábado foi que eu me diverti e relaxei sem me preocupar com nada, se tivesse uma câmera por perto acho que eu não teria aproveitado tanto~ =]

Infelizmente eu estava meio away, calado e distraído nesse 1º sábado... Sim, eu já sou daquele jeito quando estou quieto. Mas ainda assim deu pra gravar bastante coisa legal... Estranho ver como depois do 2º sábado, além de eu ficar o oposto de como estava antes na maior parte do ano, ou seja, realmente animado e bem, eu também dei um "boost" aqui no blog, passando a postar beeeem mais do que postava antes. Acho que foi a overdose de Beatles, hippies, curry tailandês deliciosamente picante e caras vestidos de bananas gigantes. Era o que eu precisava pra superar qualquer coisa! xD




Vale ser lembrado, foi um ótimo evento.

Obrigado pela atenção, deixem a gorjeta com o anão semi-nu, e podem beijar a noiva.
K-2 desligando, dando mortais e piruetas imaginárias sem a PORRA de um motivo! \o/
*WOOSH*

domingo, 28 de novembro de 2010

Pra Ninguém, e Pra Todos

O que acontece
Para que alguém se torne tão falso?
O que é preciso
Para que alguém se torne tão frio?
O que se passa
Para que uma pessoa minta para si mesma?
Como alguém pode preferir
Viver superficialmente, sem se apegar?

Quando uma pessoa escolhe a mentira?
Quando uma pessoa não dá aos sentimentos
Sua verdadeira importância?
Quando uma pessoa passa a preferir o superficial?
Quando uma pessoa prefere usar
E ser usada, sem ter mais nada?

Daonde vêm as mentiras? Para onde vão aquelas boas verdades?
Quando algo começa no topo e só começa a descer
É certeza de que nunca mais vai crescer?
Quem convive com isso sem se odiar? Deve trazer muitas facilidades...

Sempre tive tanto a dizer e a oferecer, mas chegado até aonde chegou
Foi apenas um capricho que você se permitiu, que nem devia ser?
Quando a magia e o querer morrem tão rapidamente, deve-se seguir em frente?

O que eu digo quando não ouço mais nada?
O que eu digo se tudo que eu sinto parece uma piada?

Devo ter uma placa de RETARDADO pendurada no meu pescoço...

Well, fuck it.
Ou não.
Sorry.
Não é tão simples.

"Eu tinha tanto a lhe dizer ,
Pena que você não queira nem saber.
[...] Mas tudo bem não tem nada não!"

Matanza


(nevermind, estava apenas divagando, quem quer sorvete de chiclete?)

sábado, 27 de novembro de 2010

Você Diz Que Quer Uma Revolução?

Queria ter postado esse texto aqui faz tempo, mas quem me conhece bem sabe o quanto eu protelo para fazer as coisas. Foi uma redação sobre o tema "propagandas políticas e nacionalismo" que eu fiz para um simulado do ENEM que teve na minha escola algumas semanas antes do ENEM de verdade, que me rendeu nota máxima na redação, junto com 122 acertos em 180 questões, hehe... Enfim, dane-se a nota do simulado, quero deixar registrada aqui minha redação, espero que gostem! =]

==============================

"Você Diz Que Quer Uma Revolução? Bem, Você Sabe..."


Jovens: O público alvo de qualquer propaganda positiva do governo. Os jovens não se lembram do roubo da poupança nacional, não viveram sob a censura da ditadura, e não conhecem os nomes que erraram no passado. É fácil como agradar a um cego, semelhante a trocar chapéis por ouro com índios: a ingenuidade é simples de se manipular, basta mimá-la.

Nacionalismo pode ser uma boa solução para a unificação e autoestima de um país sem grandes histórias como o nosso Brasil, mas como tudo em excesso, isso se torna negativo. O uso de imagens populares e atuais como meio de promoção governamental até é uma estratégia natural que ajuda na manutenção da aparência nacional, mas exageradamente, e junto com o desincentivo a um ensino sobre o passado - digamos, defeituoso - da nossa história política e constitucional, como é feito, serve como meio de alienação às novas gerações, assim enterrando seus podres com o passar dos anos, esquecidos nas gerações anteriores.

É preciso, para todos nós, enxergar além das cores e sorrisos das propagandas. Para não nos tornarmos mera massa de manobra de votos, é necessário o conhecimento histórico do país e um estudo da constituição democrática da nação, o que já nos é oculto de nossa educação pelo governo. Ou sua escola ensinou sobre todos os direitos que nos são teoricamente garantidos como cidadãos e humanos livres através dela? É, acho que não.

É tempo de uma revolução intelectual para abrir os olhos da população, quantos jovens entenderam a mensagem passado pela recente produção nacional Tropa de Elite 2? Saindo nas telonas em plena época de eleições, algo que seria definitivamente censurado algumas poucas décadas atrás... Ou será que só viram o entretenimento dos tiros e a violência? Pelo nível de cultura que vejo por aí, fico com esta última: as pessoas já estão acostumadas com a idéia de termos um congresso cheio de ignorantes e porcos, enquanto boa parte do país está, quase que literalmente, na merda. Abrir os olhos e ler as entrelinhas é necessário, antes que todos caiam na conformação e no desinteresse, aceitando este chiqueiro.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

The Experience of a Lifetime

Acordando 7 e meia da manhã, saindo 8 e meia;

1 hora e meia de ônibus;

Primeira vitória: cheguei facilmente ao estádio, e encontrei a quem queria;

Objetivo: ficar na fila, a menos de 30 pessoas do portão, até as 5 e meia;

Roda de desconhecidos, pessoas incríveis e divertidas, violão e rock'n'roll, uma experiência compartilhada com pessoas que conheci no momento, mas que já faziam parte de tudo aquilo (gente de São Roque, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santo André também, ou dali do lado mesmo);

Confusões e falta de organização: trocaram as filas 2 vezes, perdemos cada vez mais nosso lugar, cada vez mais para trás, acabando com mais de 100 pessoas na nossa frente;

Recuperação: ilicita e discretamente conseguindo se infiltrar mais à frente, menos de 50 pessoas ao portão;

Chuva, capas de chuva, coturno quase impermeável sucumbe em pouco menos de uma hora, sola encharcada, shplaf shpof;

Nossa roda puxando canções para toda a fila, nem sei dizer qual música NÃO foi cantada;

6 horas da tarde: sob a chuva, finalmente abrem-se os portões, run run run!;

Segunda e mais importante vitória: um lugar na grade da pista, de frente para o palco, simplesmente incrível;



Objetivo: ficar até as 9 e meia da noite ali, de pé, imóveis;

Duas idas ao banheiro, quem ficava segurava o lugar de quem ia, foi difícil;

Tempo passando, chuva indo e voltando, estádio lotando... Have You Ever Seen the Rain?;


Compartilhando alimentos, cada vez mais perto, cada vez mais todo o sufoco de antes parecia mais distante, pois o que importava estava por vir!;

9 e meia, fotos passando nos telões, enrolação... O público pede: Paul! Paul! Paul! Paul! Paul... E o palco se acende, e Sir Paul McCartney corre para o centro.
Magical Mystery Tour
Jet
All My Loving
Letting Go
Got to Get You Into My Life
Highway
Let Me Roll It/Foxy Lady (Jimi Hendrix)
The Long and Winding Road
Nineteen Hundred and Eighty-Five
Let 'Em In
My Love
I'm Looking Through You
Two of Us
Blackbird
Here Today (for John Lennon)
Bluebird
Dance Tonight
Mrs. Vandebilt
Eleanor Rigby
Something (for George Harrison)
Sing the Changes
Band On the Run
Ob-La-Di, Ob-La-Da
Back in the U.S.S.R.
I've Got a Feeling
Paperback Writer
A Day in the Life/Give Peace a Chance
Let It Be
Live and Let Die
Hey Jude

1ºbis:
Day Tripper
Lady Madonna
Get Back

2ºbis:
Yesterday
Helter Skelter
Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (reprise)/The End

Indescritível o que se passou nesse meio tempo, era um outro mundo, e então, dessa vez pra valer, por volta da meia noite e meia, acabou, assim como qualquer resquício da minha voz;

Guarda passando na grade: "Tomem essas águas, não vi vocês pararem de gritar por um segundo o show inteiro!"
É, ganhamos água de graça! Uhul! xD

E quase, quase não voltei pra casa. Mas isso nem importa, 2 e meia da manhã, estava a salvo. Claro, gastei 1 ano de vida em 1 noite do caralho, mas não teria algo que valesse mais a pena.


PMc: "If politicians don't listen to the people, people will not listen to them."


Não podia ter sido um show com um artista melhor, uma personalidade como Paul McCartney.
Não podíamos ter pego um lugar melhor, nem gritado ou pulado mais alto.
Não poderia ter sido tocada uma set list melhor.
E não podia estar em melhor companhia.
A experiência de gerações!
O show de nossas vidas!

I N E S Q U E C Í V E L

E para terminar este registro:


Gravação ruim e cortada pela falta de memória do meu cel, mas sem reclamações! Toda vez que ver isso, vou relembrar todo esse dia TÃO surreal, não importa quanto tempo passe.


Não vou mais ouvir tais músicas da mesma maneira...
Foi uma experiência de outro planeta, o que mais dizer?
Nah, direi mais nada mesmo, tudo parece tão supérfluo.
K-2 desligando, completamente detonado e sem voz!
Mas, antes: P*TAQUEOPARIIIIIIIIIIIIIIIU!!!!!! F*DA PRA C*ARALHO!!!!

(e caraca, alguma garota lá da frente da pista premium gritava tão alto que até a gente ouvia, e assustou até o próprio McCartney, até que na 3º vez ele gritou comicamente pra ela de volta~ XD)

Outro relato: http://mah206.wordpress.com/2010/11/26/tudo-bein-in-the-rain/

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Moments: Últimos Dias de Aula!

Faz algum tempo que não posto Moments!
Juntou bastante, aqui coloco algumas bobagens que registrei no desenrolar desses últimos dias de aula e outras de tempos atrás que nunca havia postado... As frases ditas por outras pessoas levam o nome de seu respectivo dono no final, o resto são minhas mesmo. Enjoy!

================================

"Professora, se acreditarmos muito, mas muito mesmo, do fuuundo do nosso intestino grosso, os gases da esperança empestiarão a sala da justiça com o cheiro da vitória!" (sobre acreditar em passar de ano sem recuperação)

"Peraí. As duas dão aulas com números, não é? Uma usa camiseta listrada preta e branca e a outra tem uma cauda saindo da calça dela... Elas vieram da mesma zebra!" (sobre professoras de geometria e matemática)

"Não passamos de mero tempero na grande almôndega da vida."

"Partido da Ignorância Dos Ignorantes: P.I.D.I."

"Eu não sou boa em improvisar..."
(elise)

"Eu sou! Pô, minha vida é um improviso! Não estudo, venho pra escola e na hora da prova sempre improviso..." (sobre a frase acima)

"Quando eu era pequeno, não sabia diferenciar 'manteiga' de 'maionese'... Pra mim era tudo algo vindo do leite e que começa com 'ma'. Que nem 'Marcelo'."

"E se cada grão de milho, cada milho de pipoca, for um planeta? Cada um com todo um mundo que a gente não vê dentro dele? E quando a gente faz pipoca, todos eles são destruídos, todos eles explodem? ... E SE O NOSSO MUNDO FOR UM MILHO PRESTES A PIPOCAR NO MICROONDAS DO UNIVERSO???"

"Vamos virar pi~po~caa~! *dança* ~o~"
(elise, sobre a frase acima)

"Estou aliviado. Agora sei por que estamos aqui." (sobre a frase acima)

"Seria legal ter um amigo árvore. Ele sempre te faria sombra na rua... E estaria sempre pronto pra quebrar um galho por você... Mas só se você desse o braço a torcer por ele também."

"Vou fazer curso de fotografia porque quero ser que nem o Homem-Aranha!" (elise sobre o futuro dela)

"Pra isso eu teria que prestar atenção no mundo... E eu faço parte de um mundo à parte." (elise sobre fazer moda)

"Pra resolver essas bases, só na base do baseado." (sobre troca de bases de logaritmos)

"Bruno e Elise! Se eu pegar a nota da prova dele, e dividir pela nota da prova dela, o quociente desta equação é "indeterminado". Sabem em que situação matemática isso acontece??" (professora, sobre o número zero)

"Ah, nem vem com matemática, professora! Sua prova era de química!" (elise, sobre a frase acima)

"Matemática é a maior vadia da escola... Fudeu com todo mundo o ano todo."

"A barba indica amadurecimento, Elise... E você nunca vai ter uma."
(sobre eu ser mais velho)

"Aé? Pois então... Pois então... CHEIRE MINHA BUNDA!"

"Tem cheiro de tomate sexo."
(biancardine, sobre a frase acima)

"*seco, quis dizer." (biancardine, sobre o erro acima)

"E vocês sabem o quê acontece no primeiro ano de faculdade?" (professora)

"SEXO! =D" (responde em voz alta, sobre a frase acima)

"Uma coisa que você não pode contar que tudo que saia dela faça algum sentido lógico, é a minha mente. Eu posso muito bem achar que algo em como um lápis caiu no chão se assemelha a um razante de um pterodáctilo, achar mesmo, mas isso não pode ser aceito como algo que tenha algum fundamento, por exemplo. Assim como esse exemplo também não. Sério, é um caos aqui dentro. Eu penso demais sobre tudo. Não por querer, mas por não conseguir deixar que uma inundação de justificativas me venham a cabeça à partir da menor atitude de alguém, mesmo que de fato eu não me interessa por essa atitude. Eu vejo uma atitude ou reação e minha mente traça varios "por quês" de tal ação ter sido feita desse jeito por tal pessoa em tal momento... Como disse, é um caos aqui dentro. Mas se eu falar demais de mim:
a) Você vai se assustar.
b) Vai esquecer o que disse que iria escrever.
E eu bolaria um C e um D, mas tô com sono."


================================

Espero que tenham gostado, e não tenham tentado entender~ xD
E realmente tô com sono.

♪♫♪♫ Oh Honey Pie, my position is tragic!
Come and show me the magic~! ♪♫♪♫
*sai cantando Honey Pie*

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Let the Sunshine In!

♪♫♪♫
Let the sunshine...
let the sunshine in...
The sunshine in!!
♪♫♪♫

(este post trata apenas sobre a minha pessoa e é patrocinado pelo clima)

Curioso, no início do ano eu havia me tornado um cara completamente deprimido e de saco cheio com o mundo. Mas de uns meses para cá, me mantive numa crescente de bom-humor, vendo o lado bom de todas as coisas e sem me importar com quaisquer desilusões ou problemas, sabendo que iam passar e serem superados... Que a vida é isso! E que isso é ótimo! E tudo isso começou com um estranho esbarrão curto e aleatório, ou talvez tenha sido não só isso, mas todo a semana que aproveitei com meus amigos, me diverti, comi curry tailandês... Mas esse esbarrão repentino me maravilhou de um jeito muito animador~

Mas bem mais recentemente, vinha me deixando preocupar novamente por diversos fatores, e como disse que evitaria até ter algumas certezas, me deixando apegar de um jeito que eu pensei que não me apegaria denovo. Bem, com isso aprendi algo que uma importante e sábia amiga (oi Lyu! 8D) já havia me dito:
"Podemos até viver deixando as coisas acontecerem e sabendo que é inútil pensar como as coisas poderiam ser se fossem de outra forma... Mas nesses momentos em que você encontra algo que tanto te agrada, é inevitável deixar de se apegar, de acabar pensando "e se?". É natural. Mas por mais que saibamos que podemos ficar tristes, também sabemos que vamos superar!"

É uma boa lição, mas não mudava as preocupações do momento, apenas as tornava mais claras... Bem, pelo menos até a tarde de ontem.

Ontem, indo encontrar alguém, estava num ônibus infernalmente quente enquanto pensava em algumas dessas preocupações. E quando sai do ônibus num pulo, tudo pareceu... Aceitável denovo. Não existiam mais problemas.

O dia estava insuportavelmente quente e parado, sem ventos... Mas chovia de um jeito leve e gratificante, nem quis abrir meu guarda-chuva, só me sentei, olhei para cima e...


Sol e chuva, fogo e água, quente e frio, nesse caso, se combinam perfeitamente.

Isso me abriu a mente e levou tudo que me desanimava, apenas fiquei ali, provavelmente com cara de tonto, sentado numa escadaria na calçada, olhando pra cima, satisfeito com... Tudo, no geral. As coisas poderiam dar muito certo ou muito errado, que eu estava bem. E no segundo caso, soube que o sol me guiaria até aonde ele brilha. E eu o seguiria. E que poderia ter alguém esperando para me conhecer em cada esquina de cada caminho, ou não, o caminho em si já era satisfatório! =]

Eu sempre fui um cara preocupado,
Principalmente com as pessoas ao meu lado...
Me preocupo até com a preocupação alheia
sobre a preocupação alheia!
É, acho que isso faz parte de mim, por enquanto.
De um ano pra cá, muita coisa vem mudando, no entanto!
Saber o que é amar, saber o que é sofrer...
Saber o que é tudo repentinamente mudar,
e pensar que preferiria morrer!
Também aprendi que devo viver, e a contar com meus amigos
Acima de tudo, eles te fazem desafiar quaisquer perigos!
Aprendi a ser eu mesmo, e aceitar as coisas como elas são
E a ver a felicidade em cada gota de chuva,
Deixando elas entrarem e regarem meu coração.
Posso ver o mundo como uma fonte de eterna possibilidade,
Sempre terá um lugar para se conhecer e pessoas para encontrar!
É como se qualquer caminho que vejo levasse à felicidade...
Mas logo digo que nem todos são bem assim,
Afinal, só sigo pelos que parecem melhores para mim!


Posso aceitar as coisas como elas são, e aproveitar tudo, sabendo que essa é a minha vida!

(ainda assim, preferiria que...)
K-2 desligando, tenham um ótimo dia! \o/

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Par

(apenas uma crônica, contada por um eu-lírico barbudão em algo como um acampamento hippie)

Várias estórias sobre como começou nosso universo costumam ser contadas de formas belas e fantásticas, de pais para filhos, por gerações, inspiradas pelas estrelas e constelações que avistamos aqui de baixo.

Mas uma delas se difere das outras, pois esta não é contada às crianças em volta de um acampamento ao som de acordes inocentes. Não é uma estória sobre seres mágicos ou onipotentes, e nem sobre grandes fenômenos inimagináveis para nós. Na verdade, é sobre algo que podemos facilmente compreender. É uma estória de paixão.

Talvez “compreender” não seja a palavra certa, mas sim, “reconhecer”. Podemos imaginar, ou chegar bem perto de visualizar, tal sentimento. E talvez, justamente por isso, é a estória que mais me convenceu até agora.

Diferente das estórias que meus pais e avós me contavam apontando para as estrelas, esta nunca me foi apresentada, e não aponta para nenhuma imensidão espacial, aponta simplesmente para dentro de nós. Caso se interessem, contá-la-ei para vocês agora.

Fala sobre duas entidades, que existiram antes da idéia de “existência” ser concebida. Elas não possuíam nome, pois tal conceito também não havia sido formado. Também não detinham forma, aparência ou personalidade, pois nada de fato existia. É difícil para nós abandonarmos tais conceitos, uma vez que sempre tenham existido neste universo, mas tente usar sua imaginação.

Nada de fato existia, e tudo se resumia nessas duas entidades, que também não possuíam nada. Ou, talvez, um conceito do que elas eram não exista para nós agora, em troca das idéias de forma, aparência e nome. Mas elas estavam lá, antes de tudo existir.

Essas existências amórficas ocupavam uma à outra, de forma cujas fronteiras não possuíam limites discerníveis, uma vez que o espaço em si estava esperando para ser concebido.

Elas apenas existiam, de uma forma a desafiar este próprio conceito, sem nada à sua volta e sem nada para considerar como si mesmas, além de uma à outra. A única coisa que tinham conhecimento como real, a única coisa que possuíam, era essa união.

E essa harmonia bastava. Sem desejos, sem a falta de nada, e sem ter nada. Estavam lá, e isso era tudo que formava o universo delas. Até que algo começou a mudar.

Nosso universo começou a se precipitar, e algumas idéias que serviriam de base para as outras que estariam por vir começaram a se formar: a primeira delas foi o Espaço.

Quando o Espaço começou a se fixar à volta dessas entidades, elas começaram a perceber gradualmente que estavam se separando, bem devagar. Talvez de fato nunca tivessem estado juntas, mas não existiam coisas como “distância” para perceberem isso.

Então, com o Espaço, viram que existia algo que as separava. E logo em seguida veio a Forma, dando contorno à suas existências. De repente, se tornaram seres individuais.

Muitas coisas ainda não existiam, e outras estavam começando a dar seus primeiros passos: em um certo momento, começaram a conhecer o conceito de Personalidade. Antes existiam com um único sentimento, agora passavam a pensar de formas diferentes.

Uma delas não gostava da idéia de Espaço e Forma, e queria voltar as coisas como eram antes. A outra estava atenta às mudanças, tentando entender o que estaria por vir.

Em algum momento, esta segunda percebeu: a única idéia que conheciam estava sumindo. Aquela idéia que bastou para elas por uma infinidade que o tempo nunca aprenderia a contar: o conceito de União.

Imediatamente, ficou aterrorizada. Não podia imaginar um universo sem a única coisa que fez parte dela, e ficou com medo do desconhecido. “Sem união, o quê existiria? Como seria?” De fato, a idéia de União estava se desfazendo para dar lugar a muitas outras novas que conhecemos atualmente. Não teríamos tal coisa neste universo.

Então, cruzou a distância até sua existência-irmã, o que pode ter levado inúmeras infinidades, mas por sorte o Tempo ainda não havia dado seus primeiros passos. Disse que temia nunca mais sentir aquela proximidade, mas a outra apenas chorava pelas mudanças, não conseguia ouvir o que lhe era dito. Então que, desesperada para confortá-la, e para se fazer ouvir, aquela entidade criou algo completamente novo, que permitiria que, mesmo existindo conceitos como Forma e Espaço entre elas, pudesse fazê-las sentirem-se próximas: o Abraço.

Aquilo confortou a outra entidade, e ela gostou da nova idéia. E então pode ouvir o que a existência que lhe abraçava tinha a dizer, e temeu que sem a União, aquele abraço não fosse trazer mais nada. Seu medo foi imensurável, e fez de tudo para trazer a outra existência mais para perto.

E foram se abraçaram cada vez mais forte, tentando sentirem-se mais perto do que o possível, apertando suas formas uma contra a outra cada vez mais intensamente. Queriam aquele sentimento de quando uma definia a existência da outra de volta. Queriam ser apenas um ser. Queriam vencer qualquer Espaço entre elas, ignorando qualquer Forma.

E cada vez mais se aproximaram, e se abraçaram tão intensamente que, de certa forma, tornaram-se apenas uma. Aquilo era maravilhoso, e elas não queriam que acabasse. Mas a idéia de União estava em seus últimos suspiros, e logo aquilo não seria mais nada.

Foi então que perceberam em si mesmas que não queriam existir num universo sem esse sentimento, sem estarem unidas. Num esforço inigualável, concluíram que poderiam continuar a existir sem precisarem uma da outra, ou poderiam acabar com sua existência enquanto ainda se completavam.

Entre lágrimas e abraços, escolheram a segunda opção. Iam deixar de existir, permitindo que suas Formas desfizessem-se no Espaço, enquanto ainda juntas, enquanto completas. E assim, foram morrendo.

Em seus momentos finais, uma idéia nova, que acabara de nascer, atingiu-as: o Nome. Para elas, que logo deixariam de ser, esse conceito era inútil. Não precisavam dele. Mas acharam que o que tinham merecia ser chamado de algo, e pensaram em um nome para todo aquele anseio por União, para o desejo de estarem juntas, para o êxtase de serem um só ser.

Pouco depois disso, suas existências acabaram. E o novo universo então se desequilibrou. Ele ainda não era autônomo o suficiente para perder tudo que definia ele antigamente, que eram aquelas duas entidades, e teve de lutar para se manter. Por fim, curiosamente, o universo achou uma solução: completou o vazio deixado pelos dois seres com a idéia de União.

Logo, o sacrifício dessas duas existências deu a oportunidade para esse conceito continuar existindo, e só assim, o universo continuou evoluindo, e se formando. Com o Tempo, novos seres com consciência para desfrutar da União deixada graças a esse sacrifício primordial foram tomando Forma.

Eu e você somos um desses novos seres, e podemos aproveitar dessa valiosa União que nos fora deixada tão dolorosa e valorosamente. Não a desperdicemos. Não a joguemos fora. Temos o Abraço para nos unir e saciar nossos desejos. Ó, que grande invenção esta que nos fora deixada!

Mas maior ainda é esse sentimento que temos, que nos faz desejar tanto estarmos juntos, cujo nome também nos fora deixado por esses dois seres que sabiam o que importava de verdade, acima de qualquer conceito.

Eu menti. Esta não é mais uma estória que explica as origens do universo. É uma estória sobre a origem dessa palavra que nos cerca nesse belo momento de união.

As duas entidades chamaram isso de Amor.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Vote 66: Lcrife Salva Vocês! -Q

Acho que ninguém aqui é um fanático, mas em todo caso, aviso que esta foi apenas uma conversa brisada sobre a eleição, envolvendo um Qejinho em completo estado de dörgas que nem conseguia digitar merda nenhuma direito ou com algum sentido.

Não dörgas de verdade, é claro. Ele só estava mesmo com muito sono. Ou como ele disse: "com um olho rodando pra cada lado, como no estado de sono REM, só que acordado".

Enfim, aí vai o papo:

********************************************

[...]

K-2: Domingo já é dia de votar? Nossa, eu com certeza não voto em nenhum daqueles dois, mas enfim...

Pato: Nem eu.

Qjo: Vota
No lcifre


K-2: Quem???

Qjo: Otro dia eu peguei e falei
Como seria o brasil governado pelo serra/
Ai eu automaticament pensei num predio caindo


K-2: ashaUShaUSHAUSHuahauSHuAHauh

Qjo: Ai eu falei
E a dilme;/
E o predio cai pro outro lado
N eh mto diferente

K-2: Cara... Esse seria um subpensamento foda pra você postar! Euri. Mas lcifre quem??

Qjo: No lcrife
Lufricer
Cpeta
Daibo
Caraio
Vota 666


K-2: Caraio! XDDDD

Qjo: Mas como eh sp dois digito
66
Vto no lucrif

Pato: Meanovs.

K-2: Mano, posso postar essa conversa no meu blog??? Quero lembrar dela.

Qjo: Achoq sim
Vo comer e dormir flws


Pato: Fraco! Hoje eu só durmo amanhã! /o/

Qjo: Okthxbye
Ano vcs


K-2: Anus você também.

Qjo: Prinsipalmente o bruno
Fls


Bruno/K-2 e Bruno/Pato: ...

*Qjo is Offline*

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Um Tributo à Sincera Simplicidade

Quis fazer um tributo à banda que mais me marcou como "eu mesmo"; cujas músicas mais fizeram parte de minha vida desde a infância; que, por definição, foram "os meus Beatles":

Os Ramones.

Não, eles não precisavam de composições gigantescas, solos destruidores, ou de letras ritmadas e trabalhadas para fazer boa música.
Hoje em dia, vemos montes e montes de porcarias cada vez mais superficiais e fabricadas, com uma complexidade incrível.
Eles não precisavam de mais do quê dois versos, ou até mesmo duas frases, e um ritmo frequente e uniforme para mostrar, mais do que qualquer outra banda, a verdadeira natureza do ser humano.
Em uma batida simples, com apenas três acordes e letras escritas na maior inocência, eles expressavam uma sincera simplicidade, e demonstravam as verdadeiras felicidades, raivas e problemas das pessoas.
Em nenhum momento se corromperam, em nenhum momento se permitiram crescer.
Shows para estádios lotados em outros continentes, para então voltar ao seu lar, nos EUA, continuando a fazer shows em pubs e sem mal ter dinheiro para comprar uma bebida.
Apenas escreveram músicas simples, que qualquer um pudesse tocar, com letras escritas apenas pelos seus próprios sentimentos, que eram, mais do que jamais vi em outro lugar, puros. Sem um pingo de corrupção causada pela sociedade ou pelo reconhecimento.
E eles foram devidamente reconhecidos. E só.
Mesmo chegando ao ponto de se odiarem, não se separaram, pois tinham algo a fazer juntos.
Continuaram a compor álbuns com gravações simples, rápidas e com os mesmos sentimentos de sempre. A mesma boa música que fizeram dos 20 aos 50 anos.

Eles não queriam crescer.
Eles não queriam viver essa vida.
Eles não queriam ser domados.
Eles queriam viver. De verdade.
Eles queriam ficar bem.
Eles queriam ficar sedados.
Eles só queriam ter algo para fazer esta noite, oh yeah.



Viveram como queriam, e de forma tão rápida, que tiveram que deixar esse mundo bem cedo. Antes mesmo que o tempo tivesse tempo de mudar suas mentes. Antes de terem que admitir que estavam crescendo. Joey, Dee Dee e Johnny, os pais de toda a família "Ramone", um atrás do outro (2001, 2002, 2004, todos para completar 50 anos), se foram.

Mas deixaram também um exemplo para se seguir, que até agora nunca vi ser repetido: Uma sincera simplicidade. Sentimentos, música, revoltas. Palavras simples e puras. Uma eterna banda de garagem de jovens sonhadores. Mas que mudaram os rumos do rock'n'roll. Eles realmente disseram ao mundo o que pensavam.


I got alot to say!
I got alot to say!
I got alot to say!
I got alot to say!

I can't remember now...
I can't remember now...
I can't remember now...
I can't remember now!

Long live for the Ramones' legacy!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

A Sociedade é um Vício

Vim chutar o barraco, então logo aviso: aqui expresso idéias, se concorda com elas, bacana, pensamos parecido. Se não concorda, bacana, temos pensamentos diferentes e isso forma a sociedade. Se as desaprova ou despreza, e vai querer me dizer que eu ou qualquer outra pessoa esteja errada, só sinto pena de sua prepotência em achar que pode julgar alguém e te sugiro, sei lá, abrir sua mente.

Abrir a mente, ao meu ver, significa apenas saber aceitar as pessoas, mesmo discordando de suas idéias. Não soa muito difícil, não é? Parece fácil ter um mundo melhor baseado nisso... Mas na prática, é muito difícil. Todo indivíduo quer colocar sua idéia sobre a de outro indivíduo, só pra provar futilmente a si mesmo, ou aos outros, que está "certo".

Algo em específico, como bebida, não é um lixo.
Vícios são lixos.
Deixar de aproveitar algo que você mesmo quer é um desperdício.
Qualquer vício é ruim.
Incluindo vícios de rotina.
Ou de mentalidade.
Qualquer coisa em excesso, inclusive convencimento, é talvez até pior que a falta de outras.
Se gosta de fazer, se algo te agrada, faça o que achar melhor, aproveite!
E saiba não se prender a vícios, sejam físicos ou mentais.

Sua opinião é sua, mantê-la ou mudá-la quando bem entender é com cada um, e ninguém tem um pingo de erro ou razão por causa disso.
Você pode não fazer algo, mas dizer que alguém que o faz é errado, é puro preconceito.
O mesmo preconceito que você pode reclamar pela sua vida, é o que você bota na sua cabeça desaprovando o modo de vida de alguém.
Não me levem a mal, todos temos um pouco de hipocrisia, sim.
Eu mesmo tenho certo preconceito contra, por exemplo, cigarros.
E milhares de pessoas podem ter outras opiniões diferentes.
Mas não incomodando umas as outras, acho que todos teriam que aprender a não julgar outra pessoa.

A grande hipocrisia é isso vir de uma sociedade viciada em fast-food, açúcares e excessos consumistas.
Uma pessoa 100% saudável pode ter uma veia entupida sem aviso e cair morta.
Mas você se dá direito aos seus vícios, todos temos alguns, que não fazem mal aos outros.
Você se dá ao direito de comer carne, ou de tomar refrigerante, ou de comer coisas gordurosas, ou de beber milk-shake, ou de acabar com salgadinhos, ou filar guloseimas, e se você não pára porquê não pode ou por simplesmente não querer, não faz muita diferença, o resultado é o mesmo.
Todo mundo se dá aos seus direitos.
Não se tornando um vício que te faça mal, ou principalmente mal às outras pessoas, aproveite.

Querer provar qualquer coisa pra alguém, é mera tolice.
Não tenho nada a provar a qualquer hipócrita analisador da sociedade.
Desafios e reprovações é pura infantilidade de alguém que vive reclamando de outros tipos de preconceitos, mas ainda não tem uma mente aberta com muitas outras coisas.

"Droga" é uma definição muito má usada, pelo fato de que entitulam certas coisas como drogas, enquanto outras coisas que nos permitem normalmente são tão más quanto e poderiam se encaixar na mesma definição.
Se você fala de LSD, cocaína, crack, nicotina, isso é de fato algo que não acho legal e que não gostaria que outras pessoas que conheço usassem, e talvez até tenha esse preconceito se conhecesse alguém que usa, mas não preciso concordar com o quê alguém faz ou não, só é preciso aprender a aceitar a vida dos outros.
Ser muito extremista com qualquer coisa também é um vicio: o vicio da mente fechada.

Cada um pode acreditar ou seguir o quê lhe agradar.
Mas religião também pode se tornar um vício maldito que pode te deixar medÍocremente dependente.
Você pode não conseguir pensar por si mesmo ou acabar preso por certas idéias que te fecham à outras idéias, e isso é algo que considero ruim.
Quando uma pessoa pára de ouvir outras pessoas, ela pára de evoluir como ser humano.
Não chegando a esse nivel manipulador de dependência, seguir um deus ou ideal pode ser muito bom, faça o que te agrade.
Mas não julgue os outros por fazerem ou seguirem coisas diferentes.

Não estou falando de suas idéias, estou falando que ninguém pode de fato aprovar ou desaprovar alguém.
É apenas preconceito, todo mundo TEM suas idéias, e TEM QUE TER uma mente aberta para a idéia de todos os outros, e as idéias de todos vão mudando ao longo de sua vida, sem parar, evoluindo.
Parar de ouvir os outros e chegar numa idéia final sobre tudo é parar de evoluir, é se tornar estagnado, cego.

Esperar que as pessoas não façam algo que você não aprove... Ninguém tem essa moral.
Aceito idéias contra ou favoráveis as minhas, o quê não aceito são pessoas que não aceitam as idéias ou modo de vida das outras.
Vale repetir que todos somos um pouco hipócritas: eu por exemplo não aceito o modo de vida de um típico fã de Justin Bieber.
Isso é algo que cada um pode ou não querer, mas precisa melhorar.
Não espero estar mudando ninguém aqui, como disse, é pura expressão de minhas idéias.
Eu, você, todo mundo, somos humanos, iguais em levar nossas vidas como queremos.
Ninguém é um deus pra julgar as pessoas erradas ou pra mudá-las com suas opiniões.
E nenhuma crença, livro ou ideal é uma desculpa pra justificar julgar aos outros.

Embora eu possa não compartilhar de sua opinião, não te digo que você está errado.
E você, sob qualquer pretexto, também não pode julgar ninguem sob suas idéias.
Isso é o quê um ditador faz.
Não se torne convencido sobre suas opiniões, porque ser tão cego a elas só fecha sua mente e te torna alguém com uma mentalidade de um ditador preconceituoso, que não conhece de verdade as outras pessoas.
Não é nada diferente de um Hitler ou de outros governos, só muda o ideal que tenta provar e usar como julgamento, mas a mentalidade é a mesma, até a raiz.

Ninguém pode julgar sobre como uma pessoa decide viver sua vida.
Somos iguais por natureza, diferente nos ideais e na experiência de vida, e só se teria paz aceitando isso e deixando conceitos como "aprovar" alguém.
O conceito de "aprovação" vem do medo da possibilidade de estar vivendo do jeito errado, que é apaziguado com a tentativa de tentar se provar certo.

Juntamente com a expressão de minhas idéias, admito que quis tentar passar aqui uma mensagem para as pessoas abrirem suas mentes para as outras pessoas.
É realmente difícil fazer isso por completo, sempre haverá alguma hipocrisia, mas saber disso já é algo, e podemos evoluir lentamente como humanidade.
À vonteau, e façam o que acharem melhor! =]

E me deixem beber um simples copo de vodka, porra.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

O Último Assalto do Ladrão de Saltos

Apenas uma poesia que eu acabei bolando brisando num trem, acho que acabou ficando legal por ser feita em pares de versos crescentes, mas a crítica é com vocês! :B

O Último Assalto do Ladrão de Saltos

O homem entrou chutando a porta do salloon
E disse: “mãos ao alto, isso é um assalto!”

O taberneiro respondeu “que é isso, amigo?
Aqui você só tira dinheiro pra graxa do seu sapato!”

“Pois não é dinheiro que vim roubar”
Foi dizendo o homem “é de amor que estou atrás!
Loira, morena, ruiva ou lilás, seus corações que vim levar!”

“Tresloucado homem!” exaltou-se o taberneiro
“Já não sabes que amor só se rouba com dinheiro?
Como diz que corações de moças veio assaltar?”

“De norte a sul, por todo o oeste estou caminhando,
e foi isso que eu sempre fiz!
Eu aponto minha arma e elas vão se apaixonando,
até dizem que o cupido foi meu aprendiz!”

Então que à sombra da janela do salloon ele vislumbrou
Uma jovem de cabelos de prata apenas olhava-o de soslaio
Caminhara quilômetros roubando os corações que roubou
Mas dessa vez, o cupido que acabou apaixonado!

domingo, 17 de outubro de 2010

Moments: IV

E vamos à mais um Moments!
Dessa vez tem alguns mais longos, espero que se divirtam! =]

================================

"Po.que.broxante! Não faça mais isso. NUNCA! D=<
OR I'LL KILL YOU AND CUT INTO LITTLE PIECES! AND I'LL GIVE THE LITTLE PIECES TO BIG DOGS! AND I'LL CUT THE BIG DOGS AND GIVE THE PIECES TO LITTLE DOGS! AND I'LL CUT THEM TOO AND GIVE THE PIECES TO CATS! AND I SHALL NOT CUT THE CATS INTO LITTLE PIECES BUT INTO TWO BIG PIECES EACH! THEM I'LL GIVE EVERY PAIR OF BIG CAT PIECES TO A PLATYPUS! AND THEM YOU'LL BE DEAD! And after you being killed to dead, dead you must stay, for the rest of your life! Nigga."
(sobre algo muito broxante mesmo)

"MAAAAAAAAAAAAAAAAAAANO! VOCÊ NÃO VAI ACREDITAR, MAS ENQUANTO FALAMOS, MEUS ALVÉOLOS ESTÃO EXECUTANDO TROCAS GASOSAS!!! IRAAAAAAAAAAAAAAADO!!!"

"Reflexões sobre a vida às 10 pras 4 da manhã." (pato)

"É óbvio que você não deve fazer isso." (biancardine sobre algo que eu ia fazer)

"O óbvio é um ponto de vista. E dois pontos definem uma reta, meu caro Biancardine. Não sei se isso fez muito sentido, mas tente achar um." (sobre a frase acima)

"Vá se foder." (biancardine, sobre a frase acima)

"O quê eu conto? Ah, vivendo, falando merda, pastando..."

"K-2, eu to no meio do serviço e quero conversar! Me deixaram na frente dum pc com internet sem nada pra fazer além de cuidar de uma porta, na qual ninguém bate!"
(tuti)

"E a porta está se comportando?" (sobre a frase acima)

"Stephanie Meyer é de fato uma escritora profissional. O termo "profissional" não significa que seja boa no que faz, só significa que ganha dinheiro com isso. Por que você acha que temos tantos acidentes envolvendo mortes por causa de uma "falha técnica"? Se um livro pudesse matar pessoas por ter sido mal escrito, Crepúsculo teria sido a peste negra do século XXI." (sobre profissionais de qualidade)

"Isso aí, afinal quem tira as patas do chão é cisne, pato decola! -qqq Não que isso tenha muita relação com o assunto, mas eu bolei isso hoje de manhã e precisava compartilhar..." (pato)

"É que nem metano: sempre que você bola de manhã, não tem com quem compartilhar." (sobre a frase acima)

"Porra! E você acha que água-viva é peixe pra sair voando, agora?" (sobre pólipos)

================================

That's it! Em algumas culturas, comentários são muito apreciados com molho-inglês. =D

terça-feira, 12 de outubro de 2010

É Para Ser

Apenas uma letra que eu escrevi automaticamente em minha mente durante um banho aleatório, acho que semana passada... E agora deu vontade de compartilhar! Espero que gostem e talz, e deixem comentários! =]

O ritmo seria mais à la Legião Urbana, calminho e constante... Engraçado que raramente escrevo letras em português, mas dessa vez saiu pronto e legal desse jeito, heh~

[É Para Ser]
[by Bruno/K-2]


Subindo a montanha à mais alta aurora
Quando a avalanche te pega de surpresa
Não podia ser em pior hora
Irmão, a vida não te dá certeza

Alguém que fica ao seu lado
Apenas um amor que parece tão errado
Apenas deixe acontecer
Como é para ser
É para ser

Apenas um caso condenado
Que coloca qualquer religiosidade de lado
Apenas deixe acontecer
Como é para ser
É para ser

Apenas uma desilusão
De quebrar qualquer coração
Você tem alguém para segurar sua mão
Como é para ser
É para ser

Só mais uma desgraça
Sem preconceito com cor ou raça
E quando vem, ela te arrasa
Apenas deixe acontecer
Como é para ser

Subindo a montanha à mais alta aurora
Quando a avalanche te pega de surpresa
Não podia ser em pior hora
Irmão, a vida não te dá certeza

Apenas deixe acontecer
Como é para ser
É para ser

terça-feira, 5 de outubro de 2010

How Can We Go Forward?

Engraçado, passei a madrugada antes da escola vendo a carreira solo de Lennon e cada vez mais vendo a falta que ele faz nesse mundo... Quando me deparei com algo que achei maravilhoso.

Vou transcrever partes da notícia dos sites Cifra Club News e da Kiss FM:

"Ozzy Osbourne é um conhecido fã dos Beatles e de John Lennon, até os óculos redondos que costuma usar são uma referência ao falecido beatle.

Em 2005, o Madman lançou o disco Under Cover, onde regravou clássicos que marcaram sua vida. Entre as 14 canções do disco, uma dos Beatles, In My Life e duas de
Lennon, Woman e Working Class Hero.

Agora, em homenagem aos 70 anos de nascimento de John, no próximo dia 9, Ozzy regravou mais um clássico solo do ex-beatle, How?, faixa do disco Imagine, de 1971.

Ozzy comentou que Lennon era uma "força motriz para a humanidade" e foi uma grande inspiração para a sua carreira musical.

O cover de Ozzy já está à venda no iTunes e toda a renda obtida será revertida para a Anistia Internacional, organização não-governamental que defende os direitos humanos."

Eu adoro as baladas do Ozzy, para quem não sabe, ele não é só um gênio do metal, mas também do blues e do rock em geral... Já ouviu Dreamer? Tranquila, inspirada em Imagine, ao que tudo indica. Tem muitas outras, mas não vou ficar falando... Eu simplesmente adorei ver o tributo de Ozzy ao Lennon. Duas pessoas admiráveis de dois estilos completamente diferentes mas de talentos incomparáveis...

Enfim, aqui está o cover, com um final épico. Aproveitem!


Make love, not war, people. And take care!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O Site de Crônicas Mais Vigiado Pela Polícia!

Senhoras e senhores, tenho prazer a lhes apresentar o projeto no qual estou participando, que finalmente está começando!

"Um site tão foda, mas tão foda, que vai te fazer gozar pelas narinas!"


Cada dia da semana um conto humorístico de um colunista diferente! (menos aos domingos)
Meu dia é a quinta-feira, espero que gostem dos meus textos, e nos acompanhem! =]

Contos de Bar, formação Megazord!! *tchuim* -n
(sério, nos acompanhem ou terei que bater em vocês com um arenque.)

http://www.contosdebar.com/

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Uma Triste Notícia...

O K-2logismo está de luto.

*assobia Always Look On the Bright Side of Life*

sábado, 25 de setembro de 2010

Censura: Trabalhos Escolares

Na real, nunca soube por que eu nunca postei sobre isso aqui...

Esse ano, tive dois trabalhos de vídeo nas aulas de história (minha professora andava com punks, então ela é bem legal e revolucionária, hehe), eu gostei dos resultados dos dois (tem o nome da criadora de água-vivas neles também, mas digamos que eu não dei brexa pra ela tentar fazer algo, rs)... Então, aqui estão:


Esse primeiro foi sobre a censura pela ditadura militar na década de 70, e como os músicos se rebelavam discretamente com mensagens indiretas contra a mesma. Nesse vídeo as músicas foram pré-determinadas e fiquei com essa, então o trabalho não foi muito animado... Mas as mensagens ocultas são boas, quero ver vocês decifrarem as 3 mensagens que eu peguei para explicar na parte escrita!


Já o segundo foi sobre o fim da censura na década de 80, e como os músicos começaram a compor livremente contra o governo, e sobre como o cenário mundial passou a ser criticado também, já que antes era censurado. Nesse trabalho tínhamos opções pré-determinadas, mas eu pedi e fiz questão de fazer com essa banda, que meu pai tanto curtiu quando era punk e fazia merda na rua. Enquanto o outro teve direito à algumas piadinhas, esse teve direito até uma a uma pequena blasfêmia (como poderão dizer alguns fanáticos), que pegou a professora e a sala de surpresa! >xD

Óbviamente, me senti muito mais animado ao fazer o segundo, por isso o trabalho mais bem-feito! xD

A pedido do comentário do Qjn, aqui está a cartum que eu fiz para o mesmo tema:
Espero que todos aqui saibam o quê é "anistia".


É isso, espero que vocês tenham curtido, e deixem coments!^^

1-2-3-4!!!
DDT did a job on me
Now I am a real sickie
Guess I'll have to break the news
That I got no mind to lose!
All the girls are in love with me
I'm a teenage lobotomy!!!

Slugs and snails are after me
DDT keeps me happy
Now I guess I'll have to tell 'em
That I got no cerebellum!
Gonna get my Ph.D.
I'm a teenage lobotomy!!!
by Ramones

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Sr. Pólipo

Olá meus queridos leitores! Faz tempo que eu não falo alguma merda por aqui, não é mesmo? Quer dizer, talvez meus textos sérios sejam uma merda para alguns, mas enfim...
Todos aqui sabem o quê é um pólipo né?

Olá, eu sou um pólipo, muito prazer! Gostariam de uma xícara de café?


Enfim, lá estava eu e minha amiga Elise naquela sala entediante recheada de pessoinhas chatas, com 3 copos plásticos vazios em mãos... Sorte que não éramos 2 garotas e 1 copo. -Q

Enfim, ela pegou e fez duas águas-vivas com os copos dela, sabe? Só cortar o copo em várias tirinhas sem arrancar elas, o resultado é algo bem feliz:

Look! It have arms! It can dance! It's a happy jellyfish! \8º/


Enfim, alguns ainda não devem saber o quê isso tem a ver com um pólipo... Bem, resumindo:

Um pouco de conteúdo pra vocês: pólipos são crias de medusa que geram mais e mais medusas... Digno de algo alienígena, não? Eu pelo menos acho interessante...

Anyway, com o copo restante, bastou eu tacar uma daquelas água-vivas em cima dele e tínhamos nosso pólipo! Eeee! =D

It really looks like, u have to admit it...

Deixei isso na minha mesa por uma meia-hora até jogá-lo fora, pois começou a mecher muito com a minha imaginação... Quer dizer, fiquei viajando direto olhando pra ele... E ele parecia olhar pra mim. Sei lá, rolou uma química estranha, e não queria ser acusado por atentado ao pudor consequente de zoofilia aquática dentro de ambiente escolar, minha ficha já está suja o suficiente depois daquele passeio ao zoológico.

ENFIM (creio que todos meus leitores sabem que não devem me levar a sério quando o post não é acompanhado da tag "FALANDO SÉRIO", né?), deixo vocês com seus próprios pensamentos e um vídeo, idéia do Sr. Pólipo (juro que ele falou comigo):


Pólipo!
Pó-pó-pó-pólipo!
Dança do pólipo!
Não é a dança da galinha, mas faz
Pó-pó-pó-pólipo!
*apanha*

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A Eterna Busca Pelo "Vale Encantando"

Só uma reflexão que foi me distraindo numa noite dessas e resolvi registrar, espero que gostem e comentem o quê pensam! =]

"[...]embora tomado o choque brusco da desilusão, nunca cansamos de sonhar…

Assim como um cão não se cansa de tentar abocanhar o reflexo de uma estrela na água do mar.

Mas que cão estúpido, não?"
(vou acabar ficando em débito por começar a te citar tanto, rs)


Estúpido? O cão só busca a própria felicidade, como tem o direito de fazer.

Pode não alcançar a estrela pelo seu reflexo, mas quando menos esperar pode acabar mordendo uma estrela do mar.

A estrela do mar pode não aparentar tudo que o cachorro idealizara, mas ela está lá, seu calor é mais palpável que aquele calor inimaginável porém intangível. A estrela do mar o amará e o fará sentir-se especial mais do que qualquer estrela distante em sua própria solidão.

...

Mamíferos e equinodermos de lado, as pessoas costumam se preocupar sobre tudo o quê fazem ou deixam de fazer, se deveriam mudar ou se deveriam manter, se "deveriam fazer isso" ou "não ter feito aquilo".

Eu digo que o quê você faz é o quê você faz.

O quê você não faz ou poderia ter feito, é o quê não foi.

E isso é você, e ponto.

Não adianta ficar se analisando até não conseguir mais.

Até porque se "você tivesse feito diferente", não teria sido você.

Ninguém vem com um manual de como fazer as coisas do jeito certo, logo, as coisas que você fez, certas ou erradas, precipitadas ou atrasadas, são o quê definem você como você mesmo, e não como todos "deveriam ser".

Aliás, você não "deveria ser" nada além de você mesmo, o que você ganhar ou perder por isso não significa que você errou. Era o quê era pra você. É sua vida.

Viver sua vida significa ganhar experiências para contar. Bons tempos, tempos ruins, todos temos nossa parte reservada.

Temos o direito de fazer algo para nós mesmos, nada é "eterno" enquanto você continua sonhando à frente.

Melhor fazer algo que você vá se sentir culpado agora do quê manter como está e acabar daqui 10 anos preso em uma vida que você não queria, com a pessoa "nem-tão-certa". Pode parecer egoísta, mas tudo que se faz em prol de sua felicidade, à longo prazo, é justo.

A época definida como "romântica", aonde as pessoas ficavam "juntas para sempre", só existiu porque as uniões eram forçadas e obrigatórias. Se você acha que está à muito tempo numa vida que começa a não soar tão boa acompanhada das palavras "para sempre"... Você pode mudar: egoísmo é dizer que alguém tem que se forçar à algo ou viver algo que cada vez mais se torne uma mentira. Justo é se dar ao direito de viver suas próprias experiências. (mas também não seja um(a) babaca, é óbvio.)

É assim que cada um busca pelo reflexo de sua estrela. É mudando seu caminho por si mesmo ou sendo obrigado a mudar de caminho, mesmo não gostando. Mas qualquer que seja o caminho em que você esteja agora, é o seu caminho e nada mais. Nem certo nem errado. Se aventure no seu próprio caminho.

Procurem a felicidade, ó, meus caros drugues e ptitsas!

Ramble on! And now's the time, the time is now, to sing my song!
I'm going around the world, I got to find my girl, on my way!
I've been this way ten years to the day, ramble on!
Gotta find the queen of all my dreams!
~Led. Zep.~

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

"Morando Aqui Nessa Cidade..."

Segunda passada eu tive uma sensação estranha...

*espera uma resposta de incentivo*

E eu quero compartilhá-la, então se você não dá a mínima para o quê eu penso você pode sair por aquela porta ali. Mas sua virgindade fica.

Enfim, segunda-feira eu faltei na escola para ir ao TG pegar minha dispensa definitiva do serviço militar. Ou pelo menos pensei eu, vou ter que voltar em 15 dias denovo pra acabar de vez com essa merda.

Então lá fui eu, com meu cabelo chapado (não que eu tenha chapado o cabelo, ele só tava de bom humor por eu ter trocado de shampoo, assim que eu usar o shampoo novo pela segunda vez ele volta ao normal), meus óculos redondos e minha jaqueta de couro batida que era do Alan...

Saí de casa em jejum, primeiro porque eu me atrasei enrolando pra levantar já que eu "tinha até o meio dia praquilo fechar", e segundo porque pensei que não me tomaria mais do quê meia hora e logo estaria de volta para me alimentar.

Fui até a casa transformada num escritório do TG num cantinho feliz de Santo André perto do Calçadão, com comércios pequenos e casas de muro baixo. Fiquei lá por uma hora e meia pra saber que teria que voltar em 15 dias.

Ok, saí e estava com fome, então decidi tomar o café da manhã na rua. Entrei num barzinho qualquer com preços amigáveis, já que eu tinha só R$4.35 (eu devia ter 7, mas o passe de trólebus que eu levei acabou na ida, então tive que comprar um pra volta).

Pedi uma vitamina de banana e uma esfiha fechada de frango, dando exatamente R$4.30, e sentei numa cadeira alta de frente para a rua, e comi ali mesmo.

Daí mó páaaa... Fiquei com bigode de vitamina e talz, e um tiozinho aleatório que notou minha camiseta do ACDC conversou comigo sobre o show da banda homônima que teve aqui ano passado que ele pode ir, e a moça do bar ainda me deu o resto de outra vitamina que ela tinha preparado no liquidificador~

Quando saí do estabelecimento, ao atravessar a rua na esquina, um headbanger aleatório passou com sua moto quase sem ter me visto, e após eu recuar um passo para deixá-lo passar, ele deu uma paradinha, me cumprimentou com a cabeça. Eu respondi igualmente, e ele seguiu seu rumo.

Com tudo isso, eu fiquei com uma sensação curiosa, do tipo "eu vivo nessa cidade", um feeling de "part of the city", um tanto quanto incomum, mas ainda assim, boa. Divertida. Sem nem mesmo encontrar ninguém que eu conheça.

Eu me senti mais ou menos assim. Só que sem o cigarro.


Eu não quero me comparar a ele, até porque se o fizesse, eu não chegaria nem aos pés, ou aonde os pés dele pisaram, a intenção daqui não foi essa.

Quero dizer, ele viveu o final de sua vida em Nova Iorque porque dizia que adorava aquela cidade, que fazia parte dela. Eu não entendia como uma pessoa podia gostar de viver numa cidade-grande, não me fazia sentido.

Mas, quando se vive na cidade, longe de um computador, encontrando pessoas de verdade, você pode se sentir mesmo parte dela, e achar isso bom.

Que todos são parte de um conjunto maior. Até um lunático te meter 5 balas.

Enfim: isso foi o quê eu experienciei na minha segunda-feira, até voltar pra casa, ligar o computador e esquecer parte desse feeling todo.

K-2 desligando~

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Quem Nasce no Azerbaijão é o Quê?

(baseado em uma conversa baseada em fatos imaginários reais)

- Quem nasce no azerbaijão é o quê?
- Azerbai...porra.
- Azerbaijão? Porra, se você perguntar pro cara, nem ELE deve conseguir pronunciar.
- Azéri, Azerbaidjano, Azerbaijano, Azerbeijano, Azerbaidjanês, Azerbaijanês, Azerbeijanês... Viva a wikipedia!
- ...Prefiro "Hey, idiota". Mais prático.

- Ah, fácil! É que nem "baiano", só que com lasers.
E sem o L, porque ele morreu:
"Azerbaiano".
Daí coloca o "J" porque é um número legal:
"Azerbaijano".
Simples!


- ..."J é um número legal"?

- Meu favorito.

(isso pode ser considerado um "Moments"? Ah dane-se, duvido que vocês adivinhem qual cor me representa! 8D *haha*)

domingo, 19 de setembro de 2010

Hope I die before I get out?

People try to put us down... (talkin'bout my generation)
Just because we get around! (talkin'bout my generation)
Things they do look awful c-c-cold... (talkin'bout my generation)
Hope I die before I get old! (talkin'bout my generation)


Welly welly welly well caros leitores, vamos à uma seção de Reflexões Sobre a Vida às 10 pras 4 da Manhã (hora em que eu meio que pensei nesse post), como diz meu amigo Pato~

Conheço muita gente inteligente, que se importa com a política, com o planeta, com a humanidade em geral.
Claro, uma pra cada dez ignorantes que vão votar no Tiririca, mas ainda assim, até que é bastante gente...

Mas vejo que a maioria realmente se estressa muito com o rumo que as coisas tomam nesse planetinha dominado por formas de vida baseadas em carbono sem senso de sociedade e irmandade.

Não culpo eles! Quer dizer, o quê temos pra nos orgulhar atualmente da raça humana? A música está uma merda, as modinhas cada vez lavando mais o cérebro da garotada, os governos e políticos cada vez fazendo mais merda, aplicando falso moralismo sobre ecologia e reciclagem enquanto escondem destruições e extinções que poderiam ser evitadas SE ELES SE IMPORTASSEM COM ALGO VERDE QUE NÃO FOSSE DINHEIRO, e tem também a religião.
Aaaah a religião, cada vez mais unindo as pessoas de cores diferentes e criando um novo tipo de preconceito: contra as pessoas que pensam diferente, não importa a cor ou proximidade delas... (sinceramente, o preconceito por etnia fazia até mais sentido.)

Bem, mas deixemos a religião de lado, já ataquei bastante ela nessa redação.

Nada contra quem acredita em um Deus, eu também acredito (embora diferente do quê descrito em qualquer lugar). Só não deixo isso afetar meu relacionamente com outras pessoas. Eu não chutarei meus filhos de casa se eles acreditarem em Buddha, em Jah ou no Big Bang. Eu não venderei minha filha com 15 anos pra um cara de 30 que frequenta a mesma congregação. Retardados.

ENFIM! Esse não é o assunto de agora.

No meu penúltimo post, eu falei sobre o cenário mundial do ponto de vista musical, daqui há um curto tempo: apenas 50 anos.

Conheço muitas pessoas que adotam a idéia de "morrer antes de ver essa merda se realizar", de “viva bem e morra jovem”... Não vejo por que "desistir" assim!

Como eu disse para uma amiga que escreveu sobre isso esses dias:

"Pense em aproveitar sua vida com pessoas que valem a pena ao seu redor, dividir seus momentos com as pessoas que te forem importantes, promover a música de verdade e fazer o que puder pelo mundo ao seu redor, mesmo não podendo mudar nada!

Pelo menos é assim que eu vejo as coisas: Viva a vida de um jeito que não se arrependa e tenha feito o que você podia pelas causas que defendia. Sem se privar de nada que goste."


Ou seja, sim, a maioria das pessoas é uma merda. Mas não deixe isso estragar sua vida e ache pessoas como você! Vocês não vão mudar o mundo de imediato, mas têm direito de aproveitá-lo.

...Ou talvez eu só diga isso por estar excessivamente otimista desde Julho, e vá me arrepender de estar vivo pra ver o mundo quando tudo ficar ainda pior.

Why don't you all fade away? (talkin'bout my generation)
And don't try to dig what we all s-s-say? (talkin'bout my generation)
I'm not trying to cause a big sensation! (talkin'bout my generation)
Just talkin 'bout my generation... ...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Como Você Está Se Sentindo Hoje?

Estava olhando o termômetro de humor pré-histórico que tenho atrás da minha porta (marcado em Feliz desde a AF em Julho), e tive idéia para mais um rock post, seguido de uma enquete, o esquema é o seguinte: Atribuí uma música a cada um dos 7 "graus" do meu termometro, e vocês respondem a enquete ao lado respondendo de acordo com a música que mais gostaram (não de como está seu humor). Nada complicado não é?

Ah sim, fiz questão de não escolher nenhuma das minhas 15 bandas favoritas (embora falte imperdoavelmente Pink Floyd, por que não me permiti 16?), usando um repertório de rock menos clássico e épico e mais... Nostálgico? Diferente? Não sei definir, mas são músicas que trazem algum feeling pra mim~

FELIZ

Fly by Night - Rush

ESPERTO

Carry On My Wayward Son - Kansas

CONFIANTE

Heart Full of Black - Burning Brides

COMPENETRADO

Wake Up - Mad Season

IRRITADO

B.Y.O.B. - System of a Down

DOENTE

Psycho Killer - Talking Heads

TRISTE

Creep - Radiohead

I love to present rock'n'roll in my blog. Enjoy it!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

"I'd like to say thank you on behalf of the group and ourselves, and I hope we passed the audition!"

Título mais longo pra um post até agora~ .3.

Anyway, cá estava eu, entediado, reflexivo, pensando globalmente e ouvindo o inigualável The Who, quando tive um pensamento.

Não gosto de imaginar o mundo daqui há, digamos, 50 anos.
Um período de tempo muito curto, geograficamente falando, mas já é o suficiente para que todas as grandes bandas ainda vivas deixem de existir.

Daqui cinquenta anos, Nicko McBrain, Steve Harris, Janick Gers, Bruce Dickinson, James Hetfield, Lars Ulrich... Não estarão mais vivos.

Muito menos Jimmy Page, John Paul Jones ou Robert Plant.

Nem Marky Ramone, Steven Tyler, Ian Gillan, Roger Waters, Pete Townshead e Roger Daltrey, e nem Ozzy Osbourne ou Paul McCartney e Ringo Starr!!! Nem Angus Young!!!

Tudo vai estar acabado. Tudo.

Isso não é justo, já não temos tanta gente, são tantos nomes que nem posso nomear aqui.

E não tem ninguém pra substituí-los.
E nem seria possível também!

Estamos vivendo no CODA do rock'n'roll...
Para quem não sabe, é aquele último movimento de uma orquestra, aonde os instrumentos, que vinham abaixando e sumindo, explodem num último grito musical, para de repente cessar, de um segundo para o outro.

Mais ou menos como quando John Lennon decidiu puxar o plug do som em I Want You (She's so Heavy), sabe?

CODA também pode ser conhecido como o último disco lançado pelo Led Zeppelin... Que acabou da mesma forma que I Want You.

E não só a música, daqui cinquenta anos, quem vai se lembrar de Clint Eastwood? E Harrison Ford? E Bruce Lee??
As piadas de onipotência de Chuck Norris serão substituídas por Robert Pattinson??? PRO INFERNO! Tenho amigas que não fazem a menor idéia de quem é CLINT EASTWOOD!!!

Esse cigarro está na lista das armas mais perigosas na face da Terra... Na verdade, qualquer objeto que já foi tocado por Clint Eastwood entra nessa lista.

Será que quero estar vivo daqui à cinquenta anos?
Só se for isolado na minha casa de campo nos fiordes ingleses com um toca-discos, minha coleção de vinis aumentada e um bom chá. Hehe.

Eu me despeço de todos vocês, e deixo-os com nada mais e nada menos que a guitarra acústica alucinada de Townshead seguida pelos vocais assustadoramente penetrantes de Waters:


Afoguem-se e seu próprio orgasmo, beijos e desligo.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

B O R E D

Olá meus felizes (ou não) leitores! =D
Mês passado eu bati meu recorde de posts nesse blog... 10 posts! Me sinto... Nah, me sinto a mesma coisa de sempre, mas ainda assim, é algo legal.
Só queria chamar atenção pra esse fato curioso, já que acho que esse mês vai ser um daqueles sem muito o quê escrever sobre~ xP

Recordes pessoais a parte, dessa vez vou usar meu blog pra algo que eu evito veementemente: Falar de mim, é.

Quer dizer, ando E N T E D I A D O .

Não entediado a ponto de fazer um myspace, formspring ou twitter, se eu chegar a esse ponto de inutilidade vocês podem me matar. Sério.

Mas estou E N T E D I A D O , a ponto de... Pensar na vida e escrever músicas que nunca vou conseguir tocar.

Quer dizer, eu tenho quase 20 músicas escritas, mas minha habilidade musical não é suficiente pra tocar nenhuma~ xP
Alguém quer me ensinar a tocar acordes plz? Tudo que sei é memorizado de tablaturas, não por saber como fazer algo mesmo.
Quer dizer, posso tocar Blitzkrieg Bop, Pinball Wizard, Here It Goes Again, boa parte de Hells Bells, In the Flesh e Can't Stop... Mas nunca aprendi os básicos mesmo, nunca tive aula ou instruções...

Enfim, eu escrevo muitas letras... E só.
E também ando num momento romãntico tipo Somebody to Love by Jefferson Airplane, sabe? Just want find somebody to love, for real, cuz I've been in love before and I know that love is more than just holding hands, u know? Need a woman gonna hold my hand, won't tell no lies, make me a happy man! (ok misturei várias músicas nessa, liga não)
O resultado disso tudo? Letras românticas, claro, duh.

E vocês gostando ou não, vou publicar uma delas aqui! =D

[Heart Hungry for Love]
[by Bruno/K-2]

It's been a while now
Since I've been in love
It's taking a little too long since
The last time I've found love

I wanna some good times again
I wanna some love
Could somebody appear to me soon?
My heart's already hungry for love

I got a
Heart hungry for love
I can't endure my
Heart hungry for love
No, not alone at all
I wanna some love
Need someone to feed my
Heart hungry for love

He-he yeah, he yeah, he-he yeah, he yeah

I thought I'd found someone new
Finally I had a hope for my heart
Babe you give me back the light
But yeah, I guess it was not this time

it doesn't work that way, sorry honey, sweet heart
I need somebody that I can really love, since the start
All star shoes, torn blue jeans, punk soul but hippie hopes
A beautiful psychedelic mind, hold by a forehead rope
Do ya know what I mean?

It's been a while now, and it's taking a little too, too long, he yeah

I got a
Heart hungry for love
I can't endure my
Heart hungry for love
No, not alone at all
I wanna some love
Need someone to feed my
Heart hungry for love

Feed, oh feed my heart
Feed, oh feed me, beauty
Feed, oh feed my soul...


É isso, o ritmo seria uma mistura the Whole Lotta Love com Heart Full of Black, na minha mente, com uma quebra com ritmo de balada entre os refrões.
Hope you liked it (or not)! ^^
Cya e feliz 6/9!